terça-feira, 17 de julho de 2007

UMA DEDICATÓRIA EM VIRGÍNIA BERLIM




Dessas paixões que chegam quando estamos distraídos. Desses casos mal-resolvidos. De amores, de dores e uma experiência. Tão brutal quanto delicado. Li Virgínia Berlim - Uma Experiência, o novo livro do jornalista e escritor Luiz Biajoni, numa dessas minhas madrugadas insones e sem paciência, que você não ocupa mais. Com exceção, claro, quando me entrego àqueles remotos e tontos pensamentos...

Enfim, eu tinha dormido um pouco de dez e 23 (a última vez que vi a hora) até meia-noite e nove (quando abri os olhos). E já era mais um daqueles domingos vazios que eu ia ver amanhecer. Na geladeira, duas cervejas de ontem e à mão um livro que me cheirava “beat” e que não me dava nem o trabalho de escolher a trilha sonora, porque vem junto um CD, incluindo algumas canções do Lou Reed. Era isso – e eu nem te imaginava.

Mas, tão logo me entreguei à sensível e genial “experiência” de Biajoni (experiência mesmo, porque até agora fico me perguntando se é um romance, se é um conto, prosa poética ou tão-somente um desencanto que um cara soturno que eu pudesse ter conhecido ao acaso me confidenciou), foi em você que pensei:

“Não podia acreditar no que tinha acontecido. Não podia. E tudo tão rapidamente me deixou com uma sensação de vazio que chorei. Mergulhei em soluços como um bebê. Por que foi assim? E chorei um pouco de dor. E chorei um pouco de medo por perceber que talvez a estivesse amando profundamente”.

E como não pensar, não? As expectativas, os conflitos e a perda de um amor. Todos esses sentimentos embalados por uma trilha sonora perfeita, que é de Virgínia Berlim, mas podia ser... Um disco que começa com Must I Paint You a Picture?, inclui I Don’t Stand a Ghost of a Chance With You e termina com The Bed, realmente podia ser.

Sabe, assim que terminei o livro eu chorei. Um choro que havia sido contido lá atrás, naquele tempo em que eu fingia não sentir dor. Mas doía. E, desde então, me pego pensando em Virgínia, no cara soturno e...

"Virgínia Berlim - Uma Experiência" é pra ler num fôlego só – e perdê-lo depois.


P.S. 1: Pensei em você, mesmo antes de saber que o autor recomenda presentear um amor do passado com o livro. Só não sei ainda como entregá-lo.


P.S 2: Aos demais, eu também recomendo: compre aqui dois exemplares de "Virgínia Berlim – Uma Experiência", publicado pela editora Os Vira Lata. Um pra você e outro pro seu amor perdido.



7 Comments:

Claudia Lyra said...

Ai, garota, que agora não te perco!!!

E esse texto é muito mais do que uma resenha... é uma confissão!

Natalia Gregolin said...

...coração na boca, peito aberto, vais sangando...

e eu, na minha condição de leitora nem consigo expressar algo diante de um desabafo poético e engasgado.
há braços

Natalia Gregolin said...

Oie Jussara..
Visite meus outros trabalhos a cerca de Layouts

http://jemaonline.blogspot.com
http://jackbaudeminhaalma.blogspot.com
http://sensibilidade-musical.blogspot.com

se quiser faço um layout pra vc!!!!
será um prazer

anote meu mail: nattygregolin@gmail.com

há braços

Vanna said...

Querida, quero pra sempre fazer parte dos seus um milhão d amigos.
Quero muito partilhar dessa experiência em forma d leitura e com certeza tenho dois grandes amores perdidos q deveriam lê-lo mas o egoísmo q lhes toma conta do coração os impediriam d se entregar a tal experiência.
Bjs, lindo dia e maravilhoso fim d semana.

Anônimo said...

Obrigado, bom trabalho! Este foi o material que eu tinha que ter.

Anônimo said...

¿Cómo puedo pedirle más detalles? Gran post necesidad de saber más ...

Anônimo said...

Eu tenho que confessar que às vezes eu fico entediado para aprender a coisa toda , porém, sinto que você pode adicionar algum valor. Bravo!